Cruzeiro e Flamengo: os destinos ideais para Ramires no Brasil

Publicado em: 17/05/2019 às 08h20

Depois de três anos no futebol chinês, onde defendeu o Jiangsu Suning, Ramires está livre no mercado. O meio-campista, atualmente com 32 anos e que construiu uma carreira vitoriosa e de momentos marcantes por Cruzeiro, Benfica e especialmente Chelsea não teve, no futebol asiático, uma passagem tão laureada como em seu passado. Mesmo assim, chama a atenção de clubes da Europa… e também brasileiros. E por aqui existem dois clubes, em especial, onde o filho mais famoso de Barra Mansa, no Rio de Janeiro, teria maiores condições e chances de jogar.
Cruzeiro e Flamengo seriam, no Brasil, os destinos mais prováveis para Ramires. E não faltam razões para isso. Entretanto, antes vale relembrar um pouco das conquistas deste meio-campista mais forte do que a aparência faz acreditar e, também, relatar como foi a sua passagem pelo futebol chinês.
Ramires foi revelado pelo Joinville em 2006. No ano seguinte foi contratado pelo Cruzeiro e já começou a demonstrar o seu talento. Embora não tenha conquistado títulos em sua primeira temporada, na seguinte foi bicampeão mineiro. Deixou a Toca da Raposa em 2009, ano em que além da conquista estadual também foi um dos maiores destaques no time que foi vice-campeão da Libertadores da América. Negociado com o Benfica, em sua única temporada ajudou os Encarnados a conquistarem o Campeonato Português após quatro edições de domínio do Porto.
Mas com o Chelsea que Ramires viveu seus dias mais gloriosos: foram cinco temporadas e meia cercada de títulos. Dentre as taças mais importantes, um Campeonato Inglês, uma Europa League e a histórica Champions League em 2011-12, quando foi decisivo ao marcar o gol que ajudou a eliminar o poderoso Barcelona de Messi e Pep Guardiola nas semifinais.
Em 2016, o meio-campista foi um dos tantos brasileiros atraídos pelos altíssimos salários da Superliga Chinesa. Pelo Jiangsu Suning (que pagou € 28 milhões pelos seus serviços), Ramires bateu na trave para ser campeão, mas não conseguiu. Em 2018, esteve muito próximo de acertar o seu retorno ao Benfica. No entanto, um entrave de última hora fez com que o meio-campista não ficasse apenas proibido, por força contratual, a permanecer: ele teve que ficar no time B. Nesta temporada, voltou a ser listado no grupo principal. O problema foi uma lesão muscular que o impediu de entrar em campo.
Ainda que várias equipes brasileiras com certeza gostariam de contar com um jogador de tanto renome e qualidade, o altíssimo salário exigido já diminui bastante a lista de candidatos. Some a isso o fato de que clubes como Palmeiras, São Paulo, Atlético-MG e Corinthians possam ficar fora da candidatura a ver Ramires: o primeiro tem nomes sobrando, o segundo já repatriou Hernanes, o terceiro dificilmente o convenceria por causa de uma rivalidade e o quarto está mais preocupado em ter um camisa 10.

As duas opções que sobram, entretanto, são as principais: Cruzeiro e Flamengo. A Raposa e o Rubro-Negro são os dois amores de Ramires. O jogador aprendeu a amar a equipe mineira e criou fortes lações com clube e torcida. Mas quando pequeno o seu amor era pintado de vermelho e preto. Toda a sua família, em Barra de São João, torce pelo Fla.

Escolha dos editores
Fred, Malcom, Buffon: as 15 piores contratações da última temporada europeia
O melhor Griezmann até hoje teria vaga neste Barcelona?
Depois de Vinicius Jr. e Paquetá, Reinier promete ser a próxima grande estrela do Flamengo
Vidal revela sonho no Brasil: “Quero jogar no Flamengo”
ASSINE O DAZN E ACOMPANHE OS MAIORES CAMPEONATOS DO MUNDO!

No Cruzeiro, Ramires brigaria com a dupla de Lucas, Romero e Silva. Já no Flamengo provavelmente ocuparia a vaga que hoje é de Willian Arão – que embora tenha aparecido bem para marcar um gol sobre o Corinthians, na Copa do Brasil, é bastante questionável por torcedores e parte da imprensa. Experiente, com qualidade inquestionável e o peso de ter sido um jogador importante de Seleção Brasileira, traria até mais equilíbrio para o setor.

E para somar em meio a toda esta bagagem, traria junto de si também a vocação para conquistar títulos que não encontrou na China.

 

Fonte: O Lance

 

Share

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *