Quatro laterais, quatro zagueiros e pouca experiência: a derrota do Vasco

Publicado em: 09/04/2018 às 07:46hs

Sem contar com Paulinho e Rildo, lesionados, Zé Ricardo improvisa esquema com Pikachu, Henrique, Galhardo e Fabrício. Expulsão e euforia deixam título escapar no último minuto

Vasco x Botafogo

A segunda final de Carioca seguida para Zé Ricardo, por pouco, não foi do jeito que planejava. Até os 49 minutos do segundo tempo, o esquema montado com quatro laterais – e depois quatro zagueiros – segurava o empate que traria o título para São Januário. No entanto, a falta de experiência, a euforia antecipada e a infantil expulsão de Fabrício deram um banho de água fria nos vascaínos.

Sem Wellington, suspenso, a entrada de Evander não mudaria muito. O problema para Zé Ricardo era a lesão de Paulinho, além do substituto Rildo. O treinador precisava de um jogador de velocidade pelo setor, mas não sentiu confiança em escalar os garotos Paulo Vitor e Caio Monteiro em uma final de campeonato. Assim, testou uma novidade: Henrique na linha de frente, como um ponta-esquerda. Sim, quatro laterais: Rafael Galhardo, Fabrício e Yago Pikachu também estavam em campo. Desta forma:
O esquema é novidade na Colina. No entanto, Zé Ricardo usou a tática há exatamente um ano, em situação muito parecida. Com a lesão de Diego no Flamengo, o treinador testou Trauco na ponta-esquerda e deu certo. Tudo corria bem no Maracanã, até que o lateral Fabrício foi expulso infantilmente ainda no primeiro tempo.
– Duro, uma derrota que valeu um título. Sempre complicado perder da forma que foi. Jogar 60 minutos com um jogador a menos, em um desgaste muito grande que tivemos sequencialmente. Tivemos a oportunidade com Pikachu e Riascos. Já tivemos situações parecidas, então é enaltecer nossa entrega, atletas foram no limite, posso garantir – afirma Zé.

O desgaste prejudicou a equipe e, com um a menos, era difícil segurar. A entrada de Andrés Rios certamente ajudou… até os 48 do segundo tempo, quando tentou resolver o jogo e deu a bola nas mãos de Gatito. A euforia nos últimos minutos contribuiu para o Botafogo seguir vivo. E, mesmo com a entrada dos zagueiros Werley e Ricardo nos lugares de Galhardo e Riascos, o Vasco não conseguiu evitar o bombardeio aéreo do Botafogo.

– Não temos do que reclamar. Tentamos manter o Botafogo longe da nossa área, mas no final do jogo tivemos oportunidade de segurar mais a bola, foi um pecado. Botafogo conseguiu da única maneira que conseguiriam fazer, com Carli na área, dois atacantes, Igor Rabello. Ainda fomos eficientes na maioria das bolas alçadas na área. Acabou sobrando para o Carli e dificultou nossa vida.

Fonte: O Lance

Share

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *