Secretaria de Saúde investiga caso suspeito da varíola dos macacos em São Luís

Publicado em: 06/08/2022 às 07h35

Caso suspeito é de um homem de 42 anos que deu entrada no Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão 2); Até o momento, o Maranhão não possui nenhum caso confirmado da doença.

Caso suspeito da varíola dos macacos em São Luís foi informado por meio de uma rede social do prefeito Eduardo Braide — Foto: Divulgação/Redes Sociais

A Secretaria Municipal de São Luís, está investigando um caso suspeito da varíola dos macacos (Monkeypox). Até o momento, o Maranhão não possui nenhum caso confirmado da doença.

A notícia do caso suspeito foi confirmada na noite dessa sexta-feira (5), por meio de uma rede social do prefeito da capital, Eduardo Braide. De acordo com a postagem, um homem de 42 anos deu entrada no Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão 2) com suspeita da varíola dos macacos.

Ainda de acordo com a postagem do prefeito Eduardo Braide, o paciente se encontra isolado, estável e será transferido para outra unidade de saúde, onde vai aguardar o resultado dos exames.

Sintomas e transmissão.

Cientistas dizem que não estamos diante de um problema global da dimensão da Covid-19, porque a varíola dos macacos é mais conhecida dos cientistas e não se espalha tão facilmente — Foto: Getty Images

Cientistas dizem que não estamos diante de um problema global da dimensão da Covid-19, porque a varíola dos macacos é mais conhecida dos cientistas e não se espalha tão facilmente — Foto: Getty Images

Os sintomas iniciais da varíola dos macacos costumam ser febre, dor de cabeça, dores musculares, dor nas costas, gânglios (linfonodos) inchados, calafrios e exaustão.

“Depois do período de incubação [tempo entre a infecção e o início dos sintomas], o indivíduo começa com uma manifestação inespecífica, com sintomas que observamos em outras viroses: febre, mal-estar, cansaço, perda de apetite, prostração”, explica Giliane Trindade, virologista e pesquisadora do Departamento de Microbiologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Dentro de 1 a 3 dias (às vezes mais) após o aparecimento da febre, o paciente desenvolve uma erupção cutânea, geralmente começando no rosto e se espalhando para outras partes do corpo.

Fonte: G1 Maranhão

Share

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *